Dicas de iluminação para fotografar melhor

De fotos casuais a profissionais, a relação entre o fotógrafo e os pontos de iluminação é sempre um desafio. Conheça técnicas, configurações e truques para obter boas imagens mesmo quando a luz não ajuda.

O importante é testar as possibilidades do seu equipamento e utilizar a configuração ideal para cada clique, já que nem sempre podemos controlar a iluminação do ambiente onde estamos.

Ajuste a sensibilidade (ISO) em ambientes escuros

No modo “easy”, a câmera aumenta automaticamente a sensibilidade ISO do sensor para captar mais detalhes da imagem, de acordo com a luz do ambiente.

Mas o ideal é que você conheça as possibilidades de sua câmera e use a ISO que permite captar imagens sem perda de qualidade, pois, quanto maior a sensibilidade, maior é o risco de obter ruído na imagem.

dicas-iluminacao-comparativo-iso-com-flashComparativo de imagens capturadas usando diferentes ISO (Foto: Adriano Hamaguchi)

Vale lembrar que quanto maior a sensibilidade, maior será a velocidade que você poderá atribuir ao obturador, evitando imagens tremidas.

Conforme observamos na imagem acima, com ISO 100 (uma baixa sensibilidade) a imagem ficou “tremida”, pois a câmera precisou de mais tempo para registrar a imagem e a modelo se movimentou. Por outro lado, a imagem capturada com ISO 6400 (uma sensibilidade alta) a câmera registrou a imagem muito rapidamente (imagem “congelada”), mas apresentou ruído. Neste situação o melhor seria continuar a fotografar com sensibilidade ISO entre 800 e 1600.

A iluminação ideal para objetos pequenos

Para obter imagens impecáveis de objetos pequenos com fundos neutros (branco, preto ou colorido), profissionais utilizam a “tenda de luz”, também chamada de “barraca de luz” ou “barraca difusora”.

O termo “difusor” é atribuído pelo fato das laterais e topo serem feitos de material translúcido. Isto permite suavizar a luz que entra na tenda, iluminando o objeto de maneira mais uniforme, suavizando as sombras.

dicas-iluminacao-tenda-difusoraTenda difusora profissional, à esquerda, e opções improvisadas (Foto: Reprodução)

As versões profissionais menores (30 x 30 x 30 cm) podem ser encontradas a partir de R$ 100, mas improvisando com materiais com uma caixa de papelão, você não gastará muito. Utilizando uma caixa de papelão, tecido e fita adesiva, é possível construir sua própria tenda. Em outro exemplo, o fotografo utilizou apenas um balde branco translúcido.

Em nossa matéria sobre como fotografar objetos que refletem, ensinamos algumas técnicas para fotografar este tipo de objeto sem que o reflexo do ambiente e do próprio fotógrafo interfira na imagem.

Usando flash em fotos macro

Quem já tentou usar o flash embutido da câmera em fotos macro deve ter percebido que os resultados não são nada legais. O equipamento indicado para esta situação é o flash circular (“ring flash”).

dicas-iluminacao-ring-flashExemplos de uso do flash circular (Foto: Reprodução/Wikipedia)

Flash circulares podem ser encontrados a partir de aproximadamente R$ 200, e as versões mais avançadas custam mais de R$ 2.000. Mas também é possível improvisar um difusor que pode te ajudar a obter resultados razoáveis. Você deve utilizar materiais translúcidos, fazer um orifício que permita encaixar na lente, e o “anel” irá distribuir a luz ao redor da lente.

dicas-iluminacao-difusor-macroDifusor feito de material translúcido pode ajudar a obter fotos macro com melhor iluminação (Foto: Reprodução/PBase Duncanc)

Improvisando iluminação com difusores

O Softbox é um equipamento profissional utilizado em conjunto com refletores (lâmpada) para iluminar objetos e pessoas. O softbox é como uma a armação de um abajur, com um tecido translucido na frente para suavizar a luz. E o refletor seria a parte elétrica, onde se encaixa a lampada.

Profissionais usam refletores com softbox, presos a um tripé que possibilita ajuste de direção a altura. Caso deseje adquirir este tipo de equipamento, fique atento, pois estas partes são vendidas separadas.

dicas-iluminacao-explicacao-softboxComparativo entre a iluminação de objeto feito por luz direta, e equipamento com difusor (Foto: Reproducão/Adriano Hamaguchi)

Você pode improvisar um difusor com uma simples folha de papel enrolada e fixada com clipes sobre um abajur de mesa.

dicas-iluminacao-difusor-papel-clipeDifusor improvisado de papel preso a um abajur de mesa (Foto: Adriano Hamaguchi/TechTudo)

As luminárias com braços flexíveis são ideais para você direcionar a luz para onde deseja, e fotografar pessoas, ambientes e objetos como desejar.

No exemplo abaixo, observe que a sombra projetada é bem mais suave quando usamos o difusor. Além disso, as cores do objeto são melhores retratadas, pois as áreas brancas provocadas pelo excesso de luz se amenizam (algo semelhante acontece com rostos).

dicas-iluminacao-exemplo-difusor-luminariaComparativo de duas imagens fotografadas sem difusor, à esquerda, e com difusor, à direita (Foto: Adriano Hamaguchi)

Ajuste a potência do flash

Quando câmera ajusta automaticamente a potência do flash, geralmente os resultados não agradam. Este é um dos motivos que leva muitas pessoas a criarem certa resistência ao uso de flash.

Acredite, o flash é seu amigo. É possível ajustar sua potência para evitar a “cara de susto” e a formação de sombras muito fortes. A diferença entre os resultados usando a potência incorreta e a ideal é absurda.

dicas-iluminacao-potencia-flashObjeto fotografado com diferentes potências do flash (Foto: Adriano Hamaguchi)

O sistema de medição da luz do ambiente em câmeras avançadas geralmente acerta na configuração da potência do flash. Mas esta é uma questão de gosto e percepção de cada pessoa. Se você não está usando um equipamento profissional e o ambiente está escuro, não há problemas se a imagem ficar um pouco escura. Não é preciso aumentar a intensidade do flash a ponto de deixar as pessoas com “cara de susto”.

Conheça os difusores de flash

O flash é uma luz muito potente, que promete ser útil para fotografar ambientes e objetos. Por isso, ele pode parecer excessivo quando fotografamos pessoas e objetos quando estão próximos. Se diminuir a potência do flash não é suficiente, você pode usar o difusor de flash para suavizar seus “efeitos colaterais”.

Há modelos para câmeras compactas que possuem sapata, onde o difusor ficará à frente do flash. Pode parecer desajeitado, mas os resultados valem a pena.

dicas-iluminacao-difusor-flash-compactaDifusor de flash para câmeras compactas, e que possuem sapata (encaixe) para flash (Foto: Reprodução/JJC)

Também existem modelos de difusores que se encaixam no próprio “flash pop-up” (aqueles que se abrem) de câmeras superzoom e DSLR. Estes modelos que podem ser encontrados por cerca de R$ 70.

dicas-iluminacao-difusor-flash-dslrDifusor para flash pop-up de câmeras DSLR e superzoom (Foto: Reprodução/JJC)

Os modelos “caseiros” são bem fáceis de fazer. Você pode utilizar desde uma simples folha de papel, até embalagens de plástico translúcido. Com este tipo de acessório, a luz a distribuída pelo ambiente e incide com menos voracidade nos objetos mais próximos.

dicas-iluminacao-exemplo-difusor-cartaoCartão de visita transformado em rebatedor difusor, fixado em flash embutido de câmera (Foto: Reprodução/DiYPhotography.com)

A quantidade de luz que atravessa o difusor e “rebate” pelo ambiente vai depender do grau de transparência do material. No exemplo acima, foi usado um cartão de visitas, e como ele é mais espesso, parte da luz é filtrada e boa parte se espalha pelo ambiente a capta a cena sem “excessos” e “explosões” de pontos iluminados.

No exemplo abaixo, utilizamos um difusor com papel sulfite em volta do flash embutido. A diferença na imagem pode ser sutil, mas com o difusor percebemos mais naturalidade nas feições.

dicas-iluminacao-exemplo-cartaoComparativo entre fotografias sem o uso de difusor, à esquerda, e com o uso de difusor para flash, à direita (Foto: Adriano Hamaguchi)

Passo a passo para obter uma boa imagem em condições adversas sem apelar para o flash

Este é um guia para obter boas imagens no modo manual.

Passo 1. Aumente o ISO até a sensibilidade que sua câmera aguenta sem gerar “ruído”. Alguns modelos suportam captar imagens com ISO 3200 apresentando um ruído mínimo.

Passo 2. Ajuste a velocidade para 1/50 s. Esta é uma boa velocidade para capturar momentos espontâneos, evitando imagens “tremidas”.

Passo 3. Aumente a abertura ao máximo. Lentes “claras” como a famosa 50 mm permite abertura de f/1.8, mas o fundo ficará desfocado. Avalie se o efeito gerado te agrada, ou não. Se preferir o fundo nítido, utilize aberturas menos. As lentes mais comuns das DSLR, as 18 ~ 55 mm geralmente possuem abertura máxima de f/3.5.

Passo 4. Teste sua imagem.

Passo 5. Se a imagem ficou escura, você pode diminuir a velocidade (correndo o risco da imagem ficar tremida) ou aumentar a sensibilidade ISO (correndo o risco de obter uma imagem com ruído).

Bem, melhor ter uma imagem com ruído do que “borrada”. Se você mudar de ideia, acione o flash, ajustando sua potência para a mínima possível.

Crie cliques criativos

Depois de aprender um pouco sobre estes truques de iluminação e configuração do seu equipamento, experimente. Tente reproduzir em casa os “ambientes hostis” para fotografia e treine.

Simule em escala reduzida, cenas que você gostaria de clicar, e teste todas as configurações indicadas e as não indicadas pelo modo automático da sua câmera.

dicas-iluminacao-montagem-iluminacaoMontagem de cena com objetos (Foto: Adriano Hamaguchi)

Questione tudo o que o modo “easy” diz pra você fazer, e tente obter resultados semelhantes usando configurações diferentes. Os modos de cena também podem ser boas fontes para análise. Veja as diferenças das configurações dos modos “fogos de artífício”, “praia” e “neve”.

dicas-iluminacao-direcao-iluminacaoImagem de uma mesma pessoa fotografada com pontos de luz de diferentes ângulos (Foto: Adriano Hamaguchi)

Observe que diferentes ângulos do objeto em relação ao ponto de iluminação, podem resultar em diferentes percepções. No exemplo abaixo, apesar da modelo manter a mesma posição e expressão, cada imagem “comunica” sentimentos diferentes. Explore este conceito nos seus próximos cliques!

É através de testes que você imprime cada vez seu próprio estilo na fotografia.

Dicas importantes

Equipamentos fotográficos profissionais não deixarão de ter seu valor. Se você fotografa profissionalmente, tenha equipamentos profissionais. Clientes podem estranhar “gambiarras” e materiais improvisados.

Não utilize colas e fitas adesivas aplicados diretamente na câmera. Você pode emperrar partes móveis e danificar seu equipamento.

Ao utilizar papéis e plásticos sobre lâmpadas e materiais elétricos, certifique-se que eles não estão em contato direto. Lâmpadas esquentam e há risco de tudo pegar fogo.

Pesquise sobre flash externo. As limitações do flash embutido são análogas às limitações da “lente 18 ~ 55 mm do kit”. Com o tempo, você percebe isso. Alguns até dizem que “não é possível fazer nada com o flash embutido”. Pode parecer exagero, mas o flash externo dá ao fotógrafo uma nova experiência totalmente diferente com a luz. E como todos sabem, luz é imagem.

Por: Adriano Hamaguchi
Fontes:
Techtudo – Dicas de iluminação

www.balaiofotografico.com.br

Um comentário em “Dicas de iluminação para fotografar melhor

Deixe uma resposta